Sinais e Sintomas


Quais são os estágios do HIV?

Quando não tratado, o HIV é quase que invariavelmente fatal, pois ele destrói o Sistema Imune, resultando na Aids. Os estágios de progressão do vírus são três:

1 - Infecção Aguda:
Geralmente, dentro de 2 a 4 semanas após a infecção, o indivíduo infectado pode sentir mal-estar, com sintomas semelhantes aos de um quadro gripal ou viral. Chamada de resposta aguda ao HIV, ou infecção primária, essa é a reação normal do corpo à presença do vírus.

Nem todos desenvolvem os sintomas agudos. Por não apresentarem qualquer sinal de contaminação ou por confundirem os sintomas descritos com os de uma gripe, muitos não percebem que podem ter o HIV.

Durante esse período, uma grande quantidade de HIV é produzida no corpo. O vírus usa células importantes do sistema imunológico – linfócitos CD4 - para replicar suas próprias cópias. Nesse processo, muitas células CD4 são destruídas e a sua contagem pode cair rapidamente e o paciente apresentar sintomas de imunodeficiência, como, por exemplo: candidose oral, herpes e pneumonias graves.

Uma pessoa com HIV pode transmitir o vírus em todos os estágios da doença! Mas a capacidade de o paciente transmitir o HIV nessa fase é maior, devido à grande quantidade de vírus (carga viral) na corrente sanguínea.

Com o passar do tempo, na maioria dos casos, o sistema imunológico consegue diminuir a quantidade de vírus no corpo a níveis estáveis. Nesse momento, a contagem das células CD4 começa a aumentar, mas, geralmente, não retorna aos níveis da pré-infecção.

2 - Latência Clínica (Inatividade):
Esse período é chamado de infecção assintomática pelo HIV ou infecção crônica. Durante essa fase, o HIV está ativo, mas em níveis baixos. O paciente pode não apresentar sintomas e nem adoecer nesse período. As pessoas que se encontram em tratamento antirretroviral (TARV) podem viver em latência clínica por muitas décadas. Para pacientes que não fazem o tratamento, esse período pode durar até uma década, porém, a maioria progride para a doença sintomática de forma mais rápida.

É importante lembrar que o paciente ainda é capaz de transmitir o HIV durante esta fase, mesmo se ele estiver em tratamento antirretroviral, embora o risco diminua bastante. Da metade desse período até o final, a carga viral do paciente começa a aumentar e as células de defesa CD4 a cair. Quando isso acontece, o paciente pode apresentar sintomas da infecção pelo HIV, já que o sistema imunológico se torna fraco para proteger o paciente.

3 - Aids/Sida (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida)
Esse é o estágio da infecção pelo HIV que ocorre quando o sistema imunológico está dramaticamente comprometido e o paciente se torna vulnerável às infecções e tumores relacionados ao vírus, podendo contrair as doenças chamadas oportunistas, como a pneumocistose, por exemplo.

Quando a contagem de células CD4 cai abaixo de 350 células/mm³, considera-se que o quadro do paciente progrediu para Aids, mesmo que este não apresente qualquer sintoma da doença (contagens normais de CD4 ficam entre 500-1600 células/mm³).

O paciente também pode ser diagnosticado com Aids se desenvolver uma ou mais doenças oportunistas, independente da contagem de CD4. Sem tratamento, os pacientes diagnosticados com Aids geralmente sobrevivem de três a cinco anos. Uma vez que o paciente apresente uma doença oportunista grave, a expectativa de vida sem tratamento cai para um ano.

Pacientes com AIDS necessitam de tratamento médico para evitarem o óbito !

Topo